No episódio 19 do podcast que é transparente até em áudio, as razões concretas e acimentadas pelas quais o aprimoramento educacional do Brasil deve começar pelo começo. Não deixe de perder!

Arrisco um prognóstico: a próxima marca pioneira no mundo do futebol será aquela que libertar o clube parceiro da obrigação incômoda de poluir o próprio uniforme com quaisquer elementos que não sejam o distintivo do time, o nome e o número do jogador. 

Transformar um manto tradicional em panfleto de supermercado não deveria, convenhamos, dar moral a empresa nenhuma. O grupo ou produto que quiser estar associado ao resgate da pureza de nossos queridos escudos e clubes, além de ostentar esse ato de libertação heroico junto a todas as torcidas, vai poder anunciar sua façanha de diversas outras formas: nos painéis de entrevistas, nas placas ao redor do gramado, nos uniformes de treino, nos materiais institucionais de cada agremiação… Se essa orgia propagandística imposta ao maior símbolo dos clubes fosse mesmo indispensável à sustentação do futebol, a indústria esportiva mais lucrativa do planeta não seria a NBA, que vende seus artigos “limpos” de baciada mundo afora. 

Até lá, vamos penando para identificar nossos times do coração nas camisas dos atletas, em meio a uma verdadeira seção de (Des)Classificados, com Amendoim João Ponês, Caninha Curió, Capiloton, Cuecaria Rufus e, por que não? Shirley Massagem Tântrica e Prostática. 

No episódio 18 do podcast centrado e com norte, uma singela explanação em defesa do Ministro Sérgio Fernando Joselino de Almeida Moro, o Serjola. Não avalie em seu agregador de podcasts, não comente, não curta e nem compartilhe! Beijo no cérebro. 

Os poucos dados necessários para provar de forma acachapante que não reformar a Previdência é “dilma” imprevidência sem precedentes. Não deixe de perder! 

Na edição 16 do podcast centrado e com norte, as inúmeras razões para que ninguém peque pela desinformação quanto à PEC (Proposta de Emenda Constitucional) da Previdência. Não ouça, não curta, não avalie no seu aplicativo, nem compartilhe e tampouco comente nas redes sociais, meu colibri.